Home / Bits & Viagens / Bits & Viagens: I hate Taxis

Bits & Viagens: I hate Taxis

Detesto usar táxis. Por tudo: detesto a luta constante para não ser aldrabado, detesto o ar senhorial que todos nós temos quando vamos sentados num táxi, detesto o dinheiro extra que sorvem, detesto afastar-me das pessoais locais naquela caixa protegida, detesto a ansiedade de não saber se vai correr bem. Ao contrário de uma ilusão comum, usar um táxi não é oferecer-nos segurança. É o contrário. É pôr-nos a jeito para sermos engrupidos,  na melhor das hipóteses. Ou para sermos deixados no meio de nenhures, ou para sermos ameaçados e maltratados… não, detesto táxis.

Já disse que detesto táxis? Sim? Pronto. Então é só para dizer que para pessoas como eu existe um website precioso. E como se chama? I Hate Taxis. Eu Detesto Táxis. No fundo é uma enorme base de dados com soluções alternativas à chegada a aeroportos, terminais de navios de cruzeiros, atrações turísticas. Ajuda o viajante a encontrar autocarros regulares, estações de comboios nas imediações. E tanto se poupa assim, às vezes de forma tão fácil. Poderia apresentar um rol interminável de exemplos, mas deixo apenas um par… chegar a Hanoi, em vez de tomar um mini-bus ou um táxi e gastar uns 10 Eur, andar 200 m até à ponta do terminal aeroportuário e esperar pelo autocarro da cidade… meia dúzia de cêntimos de Euro com a diversão acrescidade de sentir a população que se vai visitar. Bangkok, aeroporto Don Mueang. Em vez dos táxis habituais, sair da zona do aeroporto, caminhar 400 metros e apanhar um autocarro comum na avenida fronteira. Mais uma vez, uma viagem virtualmente gratuita.

Por vezes uma primeira aproximação revela que não existem alternativas aos táxis. Detesto quando isso sucede, mas apenas raramente é a verdade. Uma investigação mais aprofundada acaba quase sempre por dar os seus frutos e começam a aparecer alternativas. A verdade é que raramente a população local se restringe à utilização de táxis (mas acontece, lembro-me por exemplo da minha chegada a Batman, no Curdistão, apenas salva pela boleia do meu anfitrião… senão… táxi, lá teria que ser, a 15 km do centro).

Existem outras fontes de informação que podem ser usadas neste contexto. Os artigos para cidades específicas no Wikitravel costumam ter os detalhes de transporte de e para o aeroporto e outras estações. O melhor é usar todas as ferramentas ao seu dispôr. Além de mais o I Hate Taxis promete oferecer toda a informação que o visitante precisará para os primeiros instantes no novo país. Tenho algumas dúvidas sobre a competência do website para uma missão mais vasta, mas fica a indicação dada.

About Ricardo Ribeiro

Comecei a cruzar o mundo já tarde, mas num espaço de tempo relativamente curto senti recuperado o atraso. Foram cerca de cinquenta países e muitas experiências, em apenas nove anos, quase todas narradas no blog Papaléguas. Mas esses escritos são apenas um diário de viagens. Senti que tinha mais a contar, que podia ensinar algo. E decidi iniciar um segundo blog. Se o primeiro pode ser definido como “de viagens”, este é “sobre viagens”.

Veja também...

Acesso Wi-Fi em Aeroportos

Uma base de dados dinâmica sobre acessos Wi-Fi em aeroportos de todo o mundo.

CDC: a consulta de viajante online?

Um completo website norte-americano que poderá, em alguns casos, poupar uma ida à consulta do viajante. Afinal é aqui que é editado o Yellow Book, a fonte de informação dos clínicos de viagem por quase todo o mundo.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *