Home / Viagens / Bulgária

Bulgária

Balcãs 2010. Dia 18. Ruse – Bucareste.

O Alexander saiu cedo para o trabalho. Eu deixei-me ficar, na ronha, toda a manhã. Na véspera tinha tomado uma decisão importante: abdicaria de entrar na Moldávia. Apesar da frustração de estar tão perto de um país habitualmente tão longe ...

Ler mais... »

Balcãs 2010. Dia 18. Ruse.

Não sei se já tinha mencionado isto, mas o meu anfitrião tirou um dia de férias para me mostrar tudo e mais alguma coisa em Ruse. Como combinado, acordei às 9:00. Lá fora, um dia cinzentão, pouco convidativo. Na cozinha ...

Ler mais... »

Balcãs 2010. Dia 17. Ruse.

  Adeus Veliko Turnovo. Acordar, tratar das rotinas, fazer a mala e sair, depois de uma boa despedida do Hristo. Apanhei um táxi para a estação, que desconfio que me engrupiu, dando uma volta desnecessária. Paguei pouco menos de 2 ...

Ler mais... »

Balcãs 2010. Dia 16. Veliko Turnovo.

Dia de descompressão. Acordar, ronha em casa. E mais ronha. Até que o Hristo informou que iriamos a casa de um amigo dele experimentar um vinhaço caseiro. Descemos até à baixa a pé, depois apanhámos um autocarro. É curioso ver ...

Ler mais... »

Balcãs 2010. Dia 15. Veliko Turnovo e Arbanasi.

Segundo dia em Veliko Turnovo. Um dia cheio de sol, a pedir para ser aproveitado. Os meus parceiros de Couchsurfing partiram hoje para Bucareste… vão-me uns dias adiantados. Saimos juntos, eles, apanharam um táxi para a estação, eu, fiz os ...

Ler mais... »

Balcãs 2010. Dia 14. Veliko Turnovo.

Ontem, com a boa ajuda de incontáveis copos de cerveja, adormeci como um anjo. Mas dá-me a ideia que a noite não foi assim tão boa… acho que tive frio, e o colchão de ar também não ajudou. Mas nada ...

Ler mais... »

Balcãs 2010. Dia 12. Koprivisthitsa e Ivan Vazovo.

De manhã, saída em direcção a Koprivishtitsa, com paragem para tomar como pequeno almoço um boião de yogurte de búfalo feito no local. A paisagem búlgara ergue-se imponente, com uma cadeia de montanhas por detrás de Karlovo, que depois nos ...

Ler mais... »

Balcãs 2010. Dia 11. Ivan Vazovo.

O acordar é doce numa aldeia perdida do centro da Bulgária. De novo o chá com mel como pequeno-almoço. E mais tarde, aparece o Justin. E a mulher do Atanas que está de passagem, dirigindo-se para os banhos termais com ...

Ler mais... »

Balcãs 2010. Dia 9. Plovdiv e Ivan Vazovo.

O último acordar em Sofia. O dia estava cinzento, mas permitiu-me ainda chegar à estação de comboios sem chuva, o que muito agradeci, porque fazer os 4 km a pé carregado como uma mula já foi provação suficiente. A primeira ...

Ler mais... »

Balcãs 2010. Dia 8. Sofia.

  Pela primeira vez na Bulgária precisei de colocar despertador. Hoje o dia foi dedicado a Vitosha, a montanha que se ergue, imponente, a Sul de Sofia. E com guia privado! A Vladimira gentilmente aprestou-se para me mostrar os seus ...

Ler mais... »

Balcãs 2010. Dia 7. Sofia.

Odómetro pedestre diário: 15 km Odómetro pedestre total: 118,5 km As manhãs têm sido brilhantes. Desta vez, ainda estava a esfregar os olhos e já estava a ser sentado à mesa, onde me foi servida uma refeição… duradoura. Às 17:00 ...

Ler mais... »

Balcãs 2010. Dia 6. Sofia.

Odómetro pedestre diário: 23,5 km Odómetro pedestre total: 103,5 km Hoje pela manhã fui brindado com um pequeno-almoço local. Uma espécie de fatias douradas sem açucar, e doces caseiros para barrar, assim como queijo búlgaro. Uma delícia inesperada que me ...

Ler mais... »

Balcãs 2010. Dia 5. Sofia.

  Dormi que nem um anjo. Tinha chegado ontem à noite, já madrugada, depois de um atraso notável de cerca de duas horas provocado pelo congestionamento de tráfego no aeroporto de Barajas. O pobre Emile esperou todo esse tempo por ...

Ler mais... »

Balcãs. Dia 4. Madrid – Sofia.

  Depois da noite do dia anterior ter sido temperada por algum alcóol e por um ligeira entrada pela madrugada, interrompida apenas pela premência em apanhar o último metro, hoje dei-me ao luxo de dormir sem limites. O resultado, ao ...

Ler mais... »

Bulgária e Roménia – Aproximação

O Papaléguas prepara-se para mais uma expedição europeia, desta feita lá para os lados dos Balcãs. Vai ser um mês inteirinho, bastante itinerante e pleno de improvisação. A ideia materializou-se um dia, nem sei bem quando, nem porquê. Nasceu utópica, ...

Ler mais... »