Home / Coisas das Viagens / Aeroporto de Londres Stansted adopta novas políticas vergonhosas

Aeroporto de Londres Stansted adopta novas políticas vergonhosas

Dormir em aeroportos é uma prática corrente e necessária, quase sempre por razões orçamentais, mas por vezes até por questões operacionais. Em todos os aeroportos do mundo se pode dormir livremente mas agora a administração do aeroporto de Londres Stansted resolveu ser diferente, proibindo as pessoas de dormir nos seus terminais!

Desde o dia 11 de Junho a segurança do aeroporto tem instruções para não deixar ninguém dormir. Sentado pode, deitado não. A adicionar à já vergonhosa decisão vem a hipocrisia. Enquanto no website oficial do aeroporto e em algumas comunicações à imprensa a administração afirma estas medidas serem temporárias justificando-as com algumas obras em curso, ao mesmo tempo que diz que a situação se deve a queixas recebidas. Pessoalmente penso que se devem à imbecilidade de alguém com demasiado poder.

Considerando que Stansted se trata da principal base da Ryanair, uma empresa que vive dos viajantes mais económicos e que o peso que esta tem no aeroporto será certamente considerável, fico também curioso de porquê não ser exercida a pressão necessária junto da administração do Londres Stansted pela companhia gerida por Michael O’Leary.

 

 

 

About Ricardo Ribeiro

Comecei a cruzar o mundo já tarde, mas num espaço de tempo relativamente curto senti recuperado o atraso. Foram cerca de cinquenta países e muitas experiências, em apenas nove anos, quase todas narradas no blog Papaléguas. Mas esses escritos são apenas um diário de viagens. Senti que tinha mais a contar, que podia ensinar algo. E decidi iniciar um segundo blog. Se o primeiro pode ser definido como “de viagens”, este é “sobre viagens”.

Veja também...

Terá a Ryanair finalmente ido longe de mais?

De repente, nem sabia quantos voos com a Ryanair levava no meu currículo de viajante. ...

Estas são as Minhas Havaianas

Onde falo das minhas queridas Havaianas, companheiras de tantas aventuras, de tantas andanças, que me acompanharam e continuam a acompanhar há já mais de mil quilómetros a caminhar pelo mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *