Home / Viagens / Bósnia e Herzegovina / Sarajevo / A Avenida dos Embaixadores

A Avenida dos Embaixadores

avenidadosembaixadores-01

Ao contrário do que o nome possa parecer indicar, não estamos a falar de uma avenida a sério. Na realidade, a “avenida dos embaixadores” ocupa uma pequena parte do Dariva, um trilho que deixa Sarajevo, para norte, sempre lado a lado com o rio.

Na parte mais junto à cidade plantaram-se uma série de árvores, em linha, acompanhando o passeio que entra pela floresta adentro.  Mas estas árvores são especiais: foram ali colocadas por embaixadores prestando serviço em Sarajevo. O  projecto foi lançado pelo presidente do município de Sarajevo, no início do nosso século, e conta já com centenas de árvores, na sua maioria tílias.

avenidadosembaixadores-03

Alguns dos países creditados na capital da Bósnia-Herzegovina já fizeram rodar os seus embaixadores desde então, e nesses casos à primeira árvore plantada seguiu-se a do novo embaixador. Todas elas apresentam uma placa com o nome do país e o ano de plantação. Uma ideia com um impacto prático limitado mas com um significado interessante. Uma coisa é certa: os habitantes da cidade terão ficado surpreendidos, pelo menos no início, ao verem aquelas comitivas de homens bem aperaltados de pá na mão, a trabalharem no duro como meros jardineiros municipais.

Nos dias que correm é com sentimentos mistos que uma pessoa ali passa: apesar de irem aparecendo novas árvores com placas bem recentes, é uma tristeza ver algumas das já plantadas em péssimas condições, algumas mesmo desaparecidas, mortas por alguma razão. Mereciam um pouco mais de atenção. Mas é sempre um passeio bonito, especialmente se o visitante se aventurar um pouco mais, caminhando toda a extensão até à Ponte de Cabras, com uma paragem para “reabastecimento” no simpático café que, nos meses meses de clima mais ameno, se encontra aberto a meio caminho.

avenidadosembaixadores-02

About Ricardo Ribeiro

Comecei a cruzar o mundo já tarde, mas num espaço de tempo relativamente curto senti recuperado o atraso. Foram cerca de cinquenta países e muitas experiências, em apenas nove anos, quase todas narradas no blog Papaléguas. Mas esses escritos são apenas um diário de viagens. Senti que tinha mais a contar, que podia ensinar algo. E decidi iniciar um segundo blog. Se o primeiro pode ser definido como “de viagens”, este é “sobre viagens”.

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *