Home / Dicas Prácticas / Como Tirar o Visto para a China

Como Tirar o Visto para a China

A primeira coisa a saber no que toca a tirar o visto para a China é que ao contrário do que acontece com outros países, este assunto não se trata na embaixada. A China criou uma empresa mediadora para os seus vistos. Não sei qual é o seu estatuto jurídico, mas é definida pelos próprios chineses como “(…) uma organização de serviços comerciais registada de acordo com as leis e regulamentos locais (…)”. O seu nome é Chinese Visa Application Service Center e trabalha em estreita colaboração com a embaixada.

Duas notas importantes: Primeiro, esqueça tudo o que ler no website da embaixada da China. Toda a informação que ali existe se encontra desactualizada. Segundo, toda esta informação encontra-se actualizada no momento em que o artigo está a ser escrito, em meados de 2019, mas as condições poderão ser alteradas.

Resumo do Processo de Obtenção de Visto para a China

  1. Reunir todos os elementos e documentação necessária para o pedido do visto;
  2. Preencher o formulário online que se encontra no site do Chinese Visa Application Center e imprimir o resultado desse preenchimento; não se assuste com o tamanho do formulário, que é de facto extenso e cheio de perguntas.
  3. No mesmo website, agendar uma visita ao Chinese Visa Application Center;
  4. Na data e hora marcados comparecer nas instalações, fazendo-se acompanhar de todos os elementos requeridos:
  5. Quatro dias úteis volvidos, regressar ao local para levantar o seu passaporte com o visto.

O Que é Necessário para Obter o Visto para a China

  1. Preencher o formulário online e imprimir depois de terminar. Deverá levar este formulário consigo. Ao imprimir o website vai referir a existência de duas versões do formulário, uma simplificada e outra detalhada. Ignore isto. É só mesmo uma versão.
  2. Fotocópia da página principal do seu passaporte.
  3. Declaração da entidade patronal onde conste a sua profissão. Deverá ser em papel timbrado e estar assinada. No caso de trabalhar por conta própria deverá escrever uma declaração descrevendo a sua actividade profissional, os rendimentos de que usufrui e, de forma sumária, os seus planos e o objectivo da viagem à China. Se for reformado deverá apresentar o cartão de pensionista e os estudantes deverão apresentar a respectiva identificação escolar. No caso dos menores bastará uma cópia do cartão de cidadão.
  4. Extracto bancário actualizado (e o melhor mesmo é ser do próprio dia; se for de há mais de uma semana escusa sequer de tentar), de preferência onde conste o seu nome. Se apresentar um talão do Multibanco deverá ter consigo o cartão com o qual pediu o extracto. Deverá ter pelo menos 1.000 Euros na sua conta, ou mais, dependendo da duração da estadia (pelo menos 80 Euros por dia de estadia no país).
  5. Ao contrário do que poderá ler na internet, não é necessário uma fotografia tipo passe em papel, mas será necessário um ficheiro digital com uma, que enviará ao preencher o formulário. O fundo tem que ser rigorosamente branco, caso contrário o envio não será permitido.
  6. Documento para cada reserva de alojamento que tiver. É necessário ter reservas para todo o itinerário.
  7. Documento com os voos de chegada e partida do país. Se chegar por via terrestre é preciso apresentar prova dos transportes (bilhete de comboio, por exemplo).
  8. Apresentar o seu passaporte, que deverá ter uma validade de seis meses para além da validade do visto que pedir.

O Chine Visa Application Service

O Centro localiza-se em Lisboa,  junto ao El Corte Ingles, na Av. António Augusto de Aguiar, 130 – 5. andar. O horário de funcionamento é das 9:00 às 15:00, permanecendo aberto até às 16:00 apenas para levantamentos de vistos. Note que apesar de necessitar de uma marcação para pedir o visto, caso tenha que lá voltar por não ter tudo em ordem já poderá ir quando desejar, sendo necessário apenas mostrar o comprovativo da marcação inicial.

O local é agradável e o seu funcionamento é eficiente e bem organizado. Reportando-me à minha experiência, posso dizer que da primeira vez esperei cerca de 10 minutos para ser atendido, e quando lá regressei com uns papéis que faltavam foi ainda mais rápido. Existe uma recepção onde se deverá dirigir, com uma funcionária e um agente de segurança que poderão esclarecer algumas questões que possa ter.

Existe no centro uma impressora multi-funções que pode ser usada mediante o pagamento de 0,30 Eur por impressão. Um toque bem pensado para imprimir aquele tal documento que ficou esquecido ou a alteração necessária ao formulário. Por falar nisso, se tiver dúvidas no preenchimento não se preocupe demasiado: o agente que o receber fará uma revisão completa ao formulário e se algum ponto precisar de alterações, poderá fazê-lo no local.

Para esclarecimentos de dúvidas poderá usar o telefone (ver o número abaixo), mas como são os agentes que fazem as entrevistas que o atendem, nem sempre é fácil obter o contacto. Se necessitar poderá usar o e-mail que é verificado pelo menos uma vez por dia, com as respostas a serem dadas portanto em cerca de 24 horas.

Telefone: 213 540 884

e-Mail: lisboncentre@visaforchina.org

 

Perguntas Frequentes

Qual é o horário?

Para solicitar o visto, 2ª a 6ª feira (excepto feriados) entre as 9h00 e as 15h00; para o levantar, de 2ª a 6ª feira (excepto feriados) entre as 9h00 e as 16h00.

Quanto tempo demora?

Quatro dias úteis no regime normal, 3 dias úteis no regime expresso, 2 dias úteis no regime urgente.

Quanto Custa

Normal: 127,65 Euros

Expresso: 173,25 Euros

Urgente: 195,55 Euros

Poderá ver estes valores repartidos em duas parcelas. Isto porque existe um custo para o visto propriamente dito e um custo para o serviço prestado pelo Centro, o que do ponto de vista do requerente acaba por ser irrelevante.

É preciso tratar do visto presencialmente?

Terá que pedir o visto no Centro, mas poderá pedir a alguém que o faça em seu lugar. Se quiser que o Centro lhe envie o passaporte com o visto por correio existe essa opção, tendo um custo acrescido de 10 Euros (30 Euros para as regiões autónomas dos Açores e Madeira).

About Ricardo Ribeiro

Comecei a cruzar o mundo já tarde, mas num espaço de tempo relativamente curto senti recuperado o atraso. Foram cerca de cinquenta países e muitas experiências, em apenas nove anos, quase todas narradas no blog Papaléguas. Mas esses escritos são apenas um diário de viagens. Senti que tinha mais a contar, que podia ensinar algo. E decidi iniciar um segundo blog. Se o primeiro pode ser definido como “de viagens”, este é “sobre viagens”.

Veja também...

Voar com a Ethiopian Airways

A experiência do Cruzamundos como passageiro da Ethiopian Airways, opiniões e observações, quer nos voos internacionais quer nas ligações domésticas.

Voar com a British Airways

A experiência do Cruzamundos com a British Airways, impressões, observações e opiniões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *