Home / Viagens / # Indochina 2014

# Indochina 2014

Indochina – Dia 25 – 7 de Abril – Bangkok

Acho que tecnicamente o meu dia começou em hora incerta, talvez seis da manhã, quando acordei com a mão do polícia tailandês. Primeiro pensamento: “- Será que estou metido em sarilhos?”. Não estava. O senhor agente apenas se queria certificar ...

Ler mais... »

Indochina – Dia 22 – 4 de Abril – Siem Reap

O acordar foi doce. Só podia ser, depois de uma noite passada naquela cama d’ouro. O nosso condutor de tuk-tuk chama-se Savuth. Encontrei na Internet, numa página para ele criada por um holandês que o ajuda nas marcações e na ...

Ler mais... »

Indochina – Dia 21 – 2 de Abril – Pnomh Penh

Acordar em Pnomh Penh pela primeira vez e ter um longo dia pela frente. Longo pela variedade de experiências, pela intensidade com que se viveu cada hora. Primeira missão: visitar a prisão-matadouro que os Khmer Vermelhos montaram numa escola da ...

Ler mais... »

Indochina – Dia 17 – 29 de Março – Saigão

No segundo dia de Saigão comemorou-se o São Não Fazer Nada. A véspera tinha sido esclarecedora. Esta é uma cidade onde não encontrei alma. Sim, o passeio foi óptimo, com a visita ao Palácio da Independência como ponto alto. Correu ...

Ler mais... »

Indochina – Dia 16 – 28 de Março – Saigão

O comboio largou-nos às cinco da manhã na estação central de Saigão. Para trás ficaram mais de mil quilómetros, percorridos, numa longa cavalgada que se iniciou em Danang, em cerca de quinze horas. Estamos no pico da noite mas o ...

Ler mais... »

Indochina – Dia 12 – 24 de Março – Hoi An

Dia de trânsito e de muito mais que entretanto sucedeu. Havia um comboio para apanhar,  às 11:05. Seria a ligação entre Hue e Danang, o bilhete já comprado, como os outros dois da aventura ferroviária vietnamita, através do Toni, do ...

Ler mais... »

Indochina – Dia 11 – 23 de Março – Hue

Ao sair do comboio naquela manhã, senti que o pior da gripe tinha passado. A noite foi mal passada, mas, mesmo assim, dormi. Não me sentia especialmente sonolento e o nível de energia era aceitável. Cá fora negociámos com um ...

Ler mais... »

Indochina – Dia 10 – 22 de Março – Hanoi

Um dia terrível, sem história, feito de um enorme mal-estar. É uma gripe, só pode, mas quando se anda por paragens longínquas há macaquinhos que nos entram na cabeça e segredam-nos que pode ser isso sim, mas também algo novo, ...

Ler mais... »

Indochina – Dia 9 – 21 de Março – Hanoi

Este foi um dia que começou de uma forma diferente. Passo a explicar: existe em Hanoi uma organização académica que reúne voluntários dispostos a usar algum do seu tempo a mostrar a cidade a visitantes estrangeiros. A simbiose é evidente. ...

Ler mais... »

Indochina – Dia 5 – 17 de Março – Vientiane

A noite passou-se bem, com dois despertares térmicos, o primeiro para ligar o ar condicionado, o segundo, para o desligar. Foi-se logo para a rua, caminhar, percorrer as ruas que faltavam, da véspera. Levava em mente visitar dois templos-museu, e ...

Ler mais... »

Indochina – Dia 4 – 16 de Março – Vientiane

Dormiu-se principescamente. Não só o beliche era confortável como não existiam barulhos a perturbar a noite. Nada de vizinhos tumultuosos nem de vibrações mecânicas. Apenas o normal tuk-tek das rodas da composição passando de um carril para o outro. No ...

Ler mais... »

Indochina – Dia 2 – 14 de Março – Bangkok

O dia começou bem. Como poderia ser de outra forma, ao despertar ali, numa cidade exótica, repleta de encantos apenas à espera de serem descobertos, amigável, pictoresca, complexa…? Logo ontem tinha ficado decidida a primeira alteração ao plano geral da ...

Ler mais... »

Indochina – Dia 1 – 13 de Março – Bangkok

Para explicar (e compreender) o primeiro dia de Bangkok é preciso ter em conta um factor determinante: duas noites quase sem dormir, uma viagem de comboio e três de avião, sucessivamente. Exaustão, jetlag, adaptação térmica, de um clima a rondar ...

Ler mais... »

Indochina – Dias 0 – 11, 12 de Março de 2014

A 12.496 metros de altitude. Lá fora está um pouco desagradável. Com -51 graus, arriscaria a dizer que puxa para o frescote. Sobrevoo terras que já explorei. Vejo no monitor de bordo a cidade curda de Dyabarkir, que atravessei no ...

Ler mais... »